quarta-feira, 2 de março de 2011

ORIGEM DOS CAPRINOS

1. CONSIDERAÇÕES

Caprinos são mamíferos pertencentes à ordem Artiodactyla, subordem Ruminantia, família Bovidae e espécie Capra hircus. São bastante semelhantes a outras espécies, principalmente à ovina e, em alguns aspectos, à bovina.

São diversos os grupos desses animais incluídos no gênero Capra, sendo a espécie hircus a mais importante, considerando que nela estão reunidas todas as variedades das cabras domésticas existentes no mundo. No gênero Capra estão incluídos os grupos adiante descritos, formados por espécies selvagens, próximas da cabra doméstica:

1. Grupo Taures – Cabra Caucásica;
2. Grupo Passang – Egagrus, Benzoar;
3. Grupo Ibex – Ibex, Cabrito Montês;
4. Grupo Markhor – Cabra Falconeri;
5. Grupo Hircus – Cabra Doméstica.

2. TEORIAS SOBRE A ORIGEM

Assim como para as demais espécies domésticas, existem diversas teorias sobre a origem dos caprinos. Dessas teorias, apenas as consideradas mais aceitas até o momento são resumidamente tratadas neste capítulo.

De acordo com alguns autores, a cabra doméstica descende da cabra selvagem (Capra aegagrus) ou Benzoar. Tal cabra era um animal habitante da Ásia Central e Ocidental, tendo na Europa limites nas Ilhas Balcânicas.

    
                                                              (Egagro (Capra aegagrus))

Adametz (1943) a descreve como um animal de cabeça curta, de fronte larga e perfil retilíneo. Os chifres são grossos e longos, relativamente juntos na base, levantados para trás e para fora. Pelagem variável do cinza avermelhado claro ao pardo avermelhado. Pêlos sedosos e mesclados de lanugem. Dizem ser a Benzoar, a cabra selvagem mais próxima da doméstica.

Outros acreditam que as cabras domésticas originaram-se da Capra prisca, espécie extinta em tempos desconhecidos e bem remotos. Pelo seu habitat, possivelmente era menos montês que a Benzoar, tendo em vista as características dos locais onde foram encontrados os seus restos: estepes e planuras. Distingue-se da C. aegagrus por diversos caracteres, entretanto, o mais notável é a rotação espiral clara das bainhas córneas. Mas, pela semelhança que possui com as cabras domésticas, apresenta-se como a verdadeira matriz das que povoam o mundo civilizado de hoje.

Admite-se ainda, que os caprinos domésticos descendem de algum tipo de antílope asiático. Assim, antílopes e caprinos apresentam-se como de origem comum, de forma que nos primórdios da evolução essas espécies poderiam ser confundidas, o que se pode constatar pela falta de sinais mais marcantes que diferenciassem os esqueletos encontrados. Todavia, determinar a época em que essas espécies passaram a se diferenciar, uma da outra, não parece muito fácil. Como a Capra falconeri é a que mais se aproxima do antílope, presume-se que a mesma tenha exercido grande influência na formação da cabra doméstica.

A cabra Falconeri, também denominada “Cabra de Markhor”, vive no Afeganistão e no Himalaia, chegando até o Noroeste da Índia. Diferencia-se em uma série de subespécies, principalmente pela forma e direção dos chifres. É um animal bastante robusto, de cabeça grande e orelhas pequenas; possui barba grande e chifres longos e espiralados, em forma de saca-rolhas, erguendo-se para cima, de seção semi-oval e com saliências transversais visíveis.

 
 (Cabra de Markhor (Capra falconeri))

Pinheiro Júnior (1973), baseado em outros estudos, supõe que os caprinos podem ser descendentes das três formas selvagens ainda existentes, conforme o seguinte relato:

1.O Resoaro (Capra aegagrus), do Cáucaso, da Pérsia e de Creta. É um animal mais corpulento que nossas cabras, de cor avermelhada, com uma raia escura no dorso, barba nos dois sexos e cornos arqueados e dirigidos para trás. Dessa forma selvagem descenderam quase todas as raças atualmente exploradas, como cabras alpinas, angorás e outras;

2.O Markhor (Capra falconeri), do Afeganistão e Himalaia, forma também grande, de cornos espiralados, da qual descendem as cabras da Cachemira e do Tibet;

3.O Thar (Capra hemitragus jemlaicca), do Himalaia, com os cornos curtos, possuidores de fortes relevos e depressões transversais. Esta forma deve ter originado a cabra malaia que possui uma cabeça acentuadamente parecida com a da ovelha.

Outros estudiosos do assunto, contudo, afirmam que os caprinos pertencem ao mesmo tronco dos ovinos, dos quais vieram a se diferenciar no período Pliocênico e princípio do Quaternário. Assim, os exteriores dessas espécies quando devidamente apreciados permitem identificar diferentes caracteres nas suas formas atuais, o que nas primitivas não eram consideradas como aspectos de valor. Desse modo, Mello (1945) identifica, entre caprinos e ovinos, as diferenças que seguem:

1.Os caprinos são dotados de barba, enquanto os ovinos não as têm;
2.Os ovinos têm fossas lacrimais desenvolvidas e os caprinos não as possuem;
3.Enquanto nos caprinos os nasais são curtos e planos, nos ovinos são de formação convexa;
4.Nos ovinos a testa é plana ou côncava e nos caprinos é convexa;
5.Os caprinos têm chifres para traz, de seção transversal ovalada, achatada de cima para baixo e sobre cavilhas ósseas ôcas; nos ovinos os chifres são em espiral e de seção transversal triangular;
6.São em número variável (três a 32) as vértebras caudais dos ovinos, ao passo que nos caprinos o são em número de 12 a 16;
7.Os metacarpos e metatarsos acessórios dos ovinos são reduzidos, enquanto nos caprinos existem plenamente;
8.Os caprinos não possuem glândulas nos pesunhos, enquanto os ovinos as possuem.

(Argalis ou carneiro de Marco Pólo (Ovis polii))

Por sua vez, alguns entre os que tratam dessa questão reconhecem apenas uma diferença entre essas espécies, que está na cauda, que no caprino é sempre curta e levantada e no ovino, caída.

De qualquer forma, a grande maioria dos caprinos atualmente explorados, pertencem à espécie Capra hircus e se origina de raças e tipos selvagens. São animais que após um contínuo trabalho de melhoramento constituem as raças e variedades dos caprinos modernos, em geral de grande importância econômica e social para o semi-árido do Nordeste do Brasil, pelos produtos e serviços que oferecem.


(Cabra moderna)

0 comentários:

Postar um comentário